18 de Junho de 2020

IBCCRIM promove evento gratuito sobre efeitos da covid-19 nas prisões pelo mundo

O Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM), por meio do Departamento de Sistema Prisional,  promove no dia 23 de junho, às 10h, o evento on-line e gratuito “Covid-19 e prisões pelo mundo”. Com participantes nacionais e internacionais, o debate será um intercâmbio de experiências com políticas de monitoramento e controle do coronavírus no sistema prisional de países como Brasil, Moçambique, Espanha, Itália e Portugal.

Inscrições abertas no site do IBCCRIM

Com mediação de Raíssa Belintani, do Núcleo de Atuação Política do IBCCRIM, o evento contará com a participação da brasileira Elaine Pimentel, da Universidade Federal do Alagoas, do italiano Claudio Paterniti, da Associazione Antigone, do argentino Iñaki Rivera Beiras, da Universidade de Barcelona, do psicólogo moçambicano Fernando Niquice, doutor pela UFGRS, e da portuguesa Manuela Ivone Cunha, da Universidade de Minho.

O evento é gratuito e on-line e os e as participantes falarão em português e em espanhol. Não haverá tradução para o segundo idioma.

Covid-19 e prisões brasileiras

O IBCCRIM vem acompanhando a situação do novo coronavírus no sistema prisional brasileiro. Um estudo produzido pelo Instituto subsidiou uma ação no STF (ADPF 864) que pede que a Corte reconheça o descumprimento, por parte dos diversos Poderes do Estado brasileiro, de uma série de medidas de proteção à saúde, à vida e à segurança da população carcerária do país, que já vem sendo enormemente afetada pela pandemia.

O apagão de dados oficiais sobre o coronavírus no Brasil não se limita à população geral: entre as pessoas privadas de liberdade os números do Ministério da Justiça também são defasados. Algumas iniciativas tentam mapear os casos de covid-19 entre presos e presas e agentes penitenciários. Uma delas é o Infovírus, composto por pesquisadores(as) voluntários(as) de diversas universidades do país, incluindo o professor Ricardo Cappi, da Universidade Estadual de Feira de Santana, na Bahia, e coordenador-chefe do Núcleo de Pesquisas do IBCCRIM.

Assista ao debate na íntegra: